Português
Inglês
 

Sim, as mulheres são feitas de fases, e, em cada uma delas, o sono pode passar por variações.Por: Medley

Na adolescência, o jovem passa a ter mais responsabilidades na escola, a vida social aumenta, ele começa a trabalhar e consome mais eletrônicos, o resultado disso é menos tempo para o sono.¹

Além disso, na puberdade acontece uma diminuição na secreção da melatonina (hormônio do sono), deixando-o mais sonolento no início do dia.

No período pré-menstrual, que se dá 15 dias antes da menstruação, a produtividade da maioria das mulheres é reduzida, e o humor fica alterado, além de surgirem cólicas e dores de cabeça. Essa é a famosa TPM (tensão pré-menstrual), que por muito tempo foi vista como “frescura”, e seus efeitos, hoje já cientificamente provados.

Com todas essas mudanças causadas por queda ou aumento de hormônios, o sono não poderia ficar de fora, sendo que 95% das mulheres em idade fértil sofrem de TPM e algumas passam a ter distúrbios do sono, como insônia e sonolência durante o dia.²

Na gestação, com as mudanças do corpo, a mulher passa por mais de uma mudança no ritmo do sono. Nos três primeiros meses de gestação, ela tem mais sono devido aos níveis de progesterona (hormônio produzido no ovário), que são elevados.³

No final da gravidez, apesar de sentir muito sono, a mulher já não encontra mais posição para dormir. O bebê está grande e pressionando a bexiga, o que a faz ter vontade de fazer xixi o tempo todo. A respiração é prejudicada, o diafragma não consegue trabalhar direito e as câimbras não param de incomodar.

Finalmente, quando o bebê nasce e a mãe acha que vai conseguir dormir, vêm as noites amamentando e cuidando do bebê, que também não consegue dormir porque sente cólica.

Nesse momento, o apoio da família é muito importante, e, se possível, a mulher deve aproveitar as sonecas do bebê para também dormir e se refazer. É uma fase difícil, que exige muita paciência, mas passa!

Como viram até aqui, quando o assunto é sono, nem tudo são flores na vida da mulher que decide engravidar. Na menopausa, não poderia ser diferente, e a causa também são os hormônios.

A principal característica da menopausa é a parada da menstruação, o que acontece entre os 40 e 65 anos. A mulher passa do período reprodutivo para o não reprodutivo. Para ter o diagnóstico de menopausa, ela tem que ficar um ano sem ter sangramento. Nessa fase, a produção do estrogênio declina, causando sintomas como: distúrbios psicológicos, alterações cognitivas, perda óssea, doenças cardiovasculares, e alguns desses sintomas podem levá-la a ter insônia.4 Algumas mulheres atravessam essa fase sem sentir sintomas mas, em alguns casos, a perda na qualidade do sono pode ocorrer. Para isso, é importante sempre procurar um médico para recomendar o melhor tratamento.

Fontes:
¹ BERNARDO. Duração do sono em adolescentes de diferentes níveis socioeconômicos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria 2009;NA: NA
² MURAMATSU. CONSEQÜÊNCIAS DA SÍNDROME DA TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL NA VIDA DA MULHER Rev Esc Enferm USP 2001;35: 205-13
³ ALVES. Estudo do diagnóstico de enfermagem fadiga em gestantes atendidas numa unidade básica de atenção à saúde. Acta Paul Enferm 2006;19: 70-5
4 CARVALHO. O ensino da Saúde Coletiva no curso médico da Unicamp: experiências inovadoras junto a unidades básicas de saúde Saúde 2006;10: NA


Voltar ao início
 
Hotel do sono é realização Medley com apoio da Associação Brasileira do Sono
Última atualização: 13/07/2017
;