Português
Inglês
 

Para termos uma boa noite de sono, precisamos dormir de 6 a 8 horas. Mas esse tempo varia de pessoa para pessoa. Algumas sentem-se descansadas quando dormem menos, e outras precisam dormir mais para se sentirem bem.Por: Medley

Se você perceber que: demora a pegar no sono, desperta durante a noite e não consegue voltar a dormir, acorda muito cedo mesmo tendo ido dormir tarde, se sente cansado e sonolento durante o dia mesmo tendo dormido a noite toda ou passa o dia irritado, o melhor que tem a fazer é procurar um médico, pois esses podem ser sintomas de um distúrbio do sono chamado insônia.

A insônia pode aparecer por motivos físicos, mentais ou por fatores ambientais.

“Pior do que perder o sono à noite e encontrá-lo ao amanhecer”, “Sono, cadê você, meu filho?”, “Na madrugada vem o tédio, vem a carência, vem a fome, só não vem o sono”.

Essas são frases engraçadas compartilhadas em redes sociais. Mas é a triste realidade de muitos brasileiros. De fato, cerca de 40% da população brasileira é afetada com sintomas relacionados à insônia.¹

Veja a seguir os diferentes tipos de insônia:

A insônia primária acontece independentemente de outros distúrbios e ocorre por causas desconhecidas. É caracterizada pela dificuldade de iniciar ou manter o sono e pela sensação de não estar descansado ao acordar. Ela é mais comum em adultos entre 20 e 40 anos de idade e em mulheres.

Já as causas mais comuns da insônia secundária são a cafeína, o uso contínuo de alguns medicamentos, os transtornos do sono, como a apneia, doenças agudas ou crônicas e doenças psicológicas, como depressão e ansiedade.

A insônia pode ser classificada de moderada a intensa de acordo com seus sintomas e efeitos sociais.

Nas mulheres, esse distúrbio é mais comum por causa das alterações hormonais sofridas durante a TPM, a gestação, o pós-parto e a menopausa.

Engana-se quem acha que as crianças não passam por esse problema. Segundo artigo publicado na revista científica Pediatrics, da academia americana de pediatria, 10,8% das crianças em idade escolar entrevistadas apresentavam problemas de sono.²

No período de um dia, um recém-nascido dorme em torno de 3 a 4 quatro horas continuamente, ficando acordado durante 1 hora nesses intervalos. Aos 5 anos, a criança já deve estar com o sono noturno organizado e não ter mais necessidade de tirar cochilos durante o dia.

As causas mais comuns de insônia nas crianças são doenças agudas, como febre, doenças respiratórias, dentição etc. E doenças crônicas causadas por alterações ambientais, comportamentais ou fatores psicológicos, como medo e ansiedade.³

Se você se identificou em algum momento com este texto, não se desespere. A insônia tem tratamento!

A primeira coisa a fazer é procurar um médico que vai te analisar e indicar o melhor tratamento para o seu caso.

E, além disso, você pode começar a cuidar do seu sono agora mesmo, mudando alguns simples hábitos. Assim como você cuida da sua higiene bucal e corporal todos os dias, o seu sono requer o mesmo cuidado. Conheça abaixo os princípios da chamada higiene do sono:4

- Transforme seu quarto em um ambiente aconchegante e escureça-o quando for deitar. Até uma luzinha que sai de algum aparelho eletrônico pode atrapalhar o sono;

- Desligue-se do que precisa resolver, concentre-se em sua respiração e esvazie os pensamentos;

- Não deite com fome, nem de barriga cheia e faça refeições leves durante a noite;

- Não consuma substâncias estimulantes. Engana-se quem acredita que o álcool ajuda a dormir. E, além do café, o açúcar também é um grande vilão para o sono, pois também é estimulante. Evite consumi-lo pelo menos até uma hora antes de deitar;

- Tente algum tratamento alternativo, como aromaterapia, acupuntura e chás naturais.

- A falta de qualidade no sono pode afetar nossa saúde e nosso dia a dia, mas o fato de colocarmos a culpa de tudo o que acontece durante o dia em cima da noite mal dormida pode nos causar ainda mais ansiedade. É importante entender que a insônia e outros distúrbios do sono tem tratamento, e tem sempre um médico que vai saber como ajudar.

Fontes:
¹ CLEMENTE. Como tratar os doentes com insónia crónica? O contributo da Psicologia Clínica. Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar 2006;22: 635-44
² STEIN MA, Mendelsohn J, Obermeyer WH, Amromin J, Benca R. Sleep and behavior problems in school-aged children. Pediatrics. 2001;107:E60
3 STEIN MA, Mendelsohn J, Obermeyer WH, Amromin J, Benca R. Sleep and behavior problems in school-aged children. Pediatrics. 2001;107:E60
4 SANTOS-SILVA. Increasing trends of sleep complaints in the city of Sao Paulo, Brazil. Sleep Medicine 2010;11: 520-524


Voltar ao início
Hotel do sono é realização Medley com apoio da Associação Brasileira do Sono
Última atualização: 22/08/2017
;