Momentos desafiadores, que nos deixam inquietos, são normais. Mas quando tornam-se um problema que afeta a mente e o corpo, é hora de repensar a situação. Lidar com o estresse de modo claro, buscando recuperação física e autocuidado mental, pode auxiliar as mulheres a gerenciarem essa situação e fazerem mudanças em suas rotinas para viverem melhor. O mais importante é ter a certeza de não estar sozinha nesse momento. Vamos conhecer um pouco mais sobre a relação das mulheres com o estresse?

Períodos desafiadores, que nos trazem inquietação, são normais. No entanto, quando passam a afetar a mente e o corpo, é hora de repensar a situação. Lidar com o estresse de modo claro, construindo momentos de recuperação física e autocuidado mental, pode auxiliar as mulheres a gerenciarem essa situação e fazerem mudanças em suas rotinas para viverem melhor. O mais importante é evitar enfrentar essa batalha sozinha. Vamos conhecer um pouco mais sobre a relação das mulheres com o estresse?

Afinal, o que é o estresse?

O Office of Women’s Health (OWH) - organização que atua para melhorar a saúde e o bem-estar de mulheres americanas – define o estresse como a resposta do corpo frente a desafios diários que ocorrem na vida de todas as pessoas. A reação tem um lado positivo, já que nos deixa alertas e com mais energia para encontrar soluções. No entanto, quando vivenciada por longos períodos, pode tornar-se crônica e muito prejudicial.

Os efeitos nocivos do estresse excessivo merecem muita atenção, em especial na vida de mulheres, já que é cada vez mais comum enfrentarem sozinhas uma rotina repleta de afazeres, preocupações e responsabilidades. Em razão disso, crescem as dificuldades de relaxar mente e corpo e efetivamente desacelerar o ritmo para perceber o sério risco que o alto nível de tensão representa para sua saúde.

As mulheres e o estresse

Como falamos, existem muitas causas de estresse. Por causa das muitas responsabilidades e papéis que as mulheres de hoje assumem, o estresse pode parecer algo mais exclusivo. São obrigações familiares, cuidado com crianças e idosos, além de compromissos profissionais e diversas funções associadas ao dia a dia. Embora os homens estejam se modificando e contribuindo mais em funções que antes não assumiam, esse impacto ainda é reduzido e as mulheres continuam sobrecarregadas. Somadas a isso, as questões financeiras, competição no trabalho, saúde e problemas de relacionamento tornam-se desafios ainda maiores. Responder de maneira satisfatória à todas essas obrigações torna-se praticamente impossível. A sobrecarga de funções e sensação de “compromissos não cumpridos” libera o estresse.

Você sabe reconhecer os sintomas do estresse?

O estresse pode se manifestar no corpo, nas emoções, nos pensamentos e também durante os afazeres do dia a dia, comprometendo até mesmo os momentos de lazer.

O estresse possui um mecanismo de ação complexo. São muitos os sintomas e cada pessoa reage de maneira diferente. Mas é possível apontar os sinais mais comuns nas mulheres:

1. Físicos

- Interesse diminuído nas coisas que costumava gostar;
- Dores de cabeça;
- Falta de energia;
- Dores no corpo (sobretudo nas costas e pescoço);
- Cansaço excessivo;
- Dificuldade de dormir;
- Problemas de pele;
- Mudanças significativas no apetite;
- Uso indevido de drogas e álcool;
- Dores de estômago;
- Redução da libido.

2. Emocionais

- Sensação de estar “fora de controle”;
- Frustração excessiva;
- Mudanças repentinas de humor;
- Irritabilidade;
- Infelicidade;
- Raiva;
- Ansiedade e depressão.

3. Mentais

- Pensamentos negativos e destrutivos;
- Frequente falta de foco;
- Tédio elevado;
- Dificuldade de tomar decisões;
- Preocupações constantes;
- Esquecimento.

4. Ocupacionais

- Capacidade de concentração reduzida ou inexistente;
- Nível de produção profissional insatisfatório;
- Relações profissionais tensas;
- Sobrecarga de tarefas;
- Sensação de que as horas de trabalho demoram a “passar”.

5. Sociais

- Solidão;
- Tendência ao isolamento;
- Redução da intimidade com amigos, companheiros e parceiros;
- Aparecimento ou aumento de problemas familiares;

Como esses fatores afetam a saúde de mulheres estressadas?

As respostas ao estresse podem ser silenciosas e, em alguns casos, realmente extremas. É preciso estar atenta para perceber os sintomas e agir o quanto antes.

Infelizmente, os sintomas descritos acima podem vir acompanhados de problemas adicionais, que tendem a se desenvolver em mulheres que experimentam o estresse por longos períodos:

Depressão e ansiedade

Essas mulheres apresentam taxas mais altas de depressão e ansiedade, além de outros distúrbios psicológicos como transtorno do pânico e transtorno obsessivo-compulsivo.

Problemas cardíacos

É cientificamente comprovado que o estresse aumenta a pressão arterial e a frequência cardíaca. Tais sintomas são quase sempre acompanhados de constantes dores de cabeças e quadros prolongados de enxaqueca.

Obesidade

As mulheres são mais propensas ao ganho de peso vinculado ao estresse. Por isso, é importante observar a relação com a nutrição e, sobretudo, com o exagero no consumo de doces, alimentos processados, bebidas alcoólicas e artificiais.

Problemas intestinais

Fisicamente, a síndrome do intestino irritável é um dos principais pontos de atenção relacionados ao estresse. Os sintomas incluem dor abdominal, inchaço, diarreia e constipação. É possível corrigir esse quadro adotando uma combinação de dieta, estilo de vida e hábitos saudáveis.

Problemas relacionados à gravidez

Altos níveis de estresse podem trazer dificuldades para engravidar. Além disso, é muito importante perceber e gerenciar o estresse de modo a manter a saúde mental e física durante toda a gestação.

Problemas menstruais

Muita atenção para o impacto do estresse elevado na síndrome pré-menstrual: a causa não é totalmente compreendida, mas provavelmente o estresse propicia mudanças mais intensas nos hormônios durante o ciclo menstrual, aumentando a irritabilidade e a fadiga.

Confira as dicas pra combater o estresse

Você não precisa resolver tudo sozinha! Prestando atenção aos sintomas e mudando o foco para uma atitude positiva, é possível vencer o estresse.

A boa notícia é que o estresse não precisa durar pra sempre! É perfeitamente possível controlá-lo aplicando estratégias saudáveis, que gerem percepção completa do problema e levem ao autocuidado. Responda para si mesma: o que gostaria que fosse totalmente diferente em sua vida? O que é preciso fazer para alcançar esse desejo? Temos algumas dicas que podem contribuir para sua saúde mental e física:

1. Cuide da mente e do corpo

Cuide de você! Mantenha uma rotina de exercícios (pelo menos 30 minutos, três dias da semana, você consegue!); descubra suas técnicas de relaxamento, ouça uma música que te faz bem, aventure-se na yoga, comece a meditar antes de dormir; alimente-se de forma saudável, sem exageros e com consciência; tenha momentos de lazer; lembre-se de dormir o suficiente (entre sete e nove horas por noite);

2. Foco na positividade

Expresse sempre suas emoções de modo positivo. Problemas sempre existiram e sempre existirão. Lembre-se de repetir o pensamento clarificado, centrado no tempo presente. Trabalhe sua autoestima de modo saudável. Respeitando seus limites, procure fazer o necessário, acreditando que esse é o melhor modo de realizar seu dia a dia.

3. Força mental é um exercício constante

Mantenha uma perspectiva positiva: as coisas acontecem por você e não para você. Tudo que ocorre pode nos proporcionar uma autoanálise constante. Assim podemos seguir melhorando e nos conhecendo. Pense de modo realista, haja de modo resiliente, contorne desafios de modo criativo.

4. Você constrói o seu melhor

Estabeleça metas factíveis e alcançáveis no trabalho, sempre acreditando em seu potencial; Identifique e mantenha o equilíbrio entre os afazeres domésticos e o lazer, estabelecendo para os demais e para si os limites necessários para viver de modo mais pleno e confiante.

5. Seja social do seu jeito

Esqueça regras e projeções culturais que formam modelos de vida social. Você mesma deve decidir como construir e manter relações. Esforce-se para nutrir bons relacionamentos amorosos, pois o amor sincero fortifica e faz bem para o corpo e a alma. Mantenha-se conectada com amigos, afinal, a verdadeira amizade é gratuita e nos entrega o bom da vida. Esteja sempre próximo de sua família, lembre-se que raízes fortes são mantidas com carinho e trocas constantes. E nestes tempos em que estamos mais em casa, invente!

6. Descubra e aproveite sua espiritualidade

Busque o real significado de sua vida: encontrar seu próprio objetivo e manter-se fiel nessa caminhada trará certezas a seu dia a dia. Pratique a gratidão em cada momento, vivendo tudo o que você tem: o momento presente, o agora!

Referências bibliográficas:

  1. The Office on Women’s Health, U.S. Department of Health & Human Services. Stress and your health. Acesso em 9 de julho de 2020. https://www.womenshealth.gov/mental-health/good-mental-health/stress-and-your-health
  2. Dana R. Schreiber, BS and Natalie D. Dautovich, PhD. Depressive Symptoms and Weight in Midlife Women: The Role of Stress Eating and Menopausal Status. Acesso em 9 de julho de 2020. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5607068/
  3. Síndrome do Intestino Irritável (SII). Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia. Acesso em 10 de julho de 2020. http://www.sbmdn.org.br/sindrom, https://www.womenshealth.gov/mental-health/good-mental-health/stress-and-your-healthe-do-intestino-irritavel-sii/
  4. Tensão Pré-Menstrual – Critérios para diagnóstico. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Acesso em 10 de julho de 2020. https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/422-tensao-pre-menstrual-criterios-para-diagnostico