Amizades podem te deixar mais saudável. Aproveite isso!

Quando pensamos em mudar de vida e cuidar da saúde sempre lembramos dos exercícios físicos, da alimentação e do abandono de vícios. Mas, e os amigos?

Sim, a amizade pode ser uma aliada em tanto para quem pretende se manter mais saudável, e não necessariamente na forma de incentivo. Segundo a diretora do Centro de Longevidade da Universidade de Stanford, Laura Carstensen, a percepção sobre amizade mudou ao longo dos anos.

"Durante muito tempo as pessoas especularam que pessoas solitárias não fariam boas refeições, não se exercitavam tanto e ninguém as levaria ao médico. Mas, acho que estamos aprendendo é que as emoções ativam processos fisiológicos que são diretamente prejudiciais à saúde", disse1.

De acordo com a pesquisadora, a amizade verdadeira provoca reações físicas no corpo humano e podem estar associadas a uma melhora na saúde. Foi isso o que comprovou um estudo feito pela Universidade Brigham Young.

Segundo uma das pesquisadoras responsáveis pelo estudo, professora Julianne Holt-Lustad, além da falta de companhia, os relacionamentos ruins podem contribuir para a piora na saúde.

Para ela, o sentimento de pertencimento a um grupo gera uma sensação de responsabilidade por outras pessoas, o que gera um significado na vida do indivíduo para que ele possa se cuidar melhor e correr menos riscos2.

Os cientistas estão investigando os fatores biológicos e comportamentais que explicam os benefícios da amizade. Foi descoberto, por exemplo, que ajuda a aliviar o estresse, que pode afetar adversamente as artérias coronárias, as funções intestinais, regulação de insulina e sistema imunológico3.

A amizade se mostra importante até em relacionamento conjugal, onde um estudo mostrou que houve uma queda de imunidade em casais que passavam por momentos conturbados do relacionamento3.

Em uma pesquisa feita pelo jornal The Huffington Post nos Estados Unidos, as pessoas responderam sobre a importância da amizade e a conclusão que o estudo chegou é que as pessoas que consideravam a amizade muito importante estavam mais satisfeitas em todas as categorias, como saúde, realizações pessoais e relacionamentos5.

Encontrar pessoalmente com amigos pode trazer benefícios concretos, como revelou um estudo feito pela Universidade de Rochester. Segundo as pesquisadoras que analisaram o comportamento dos alunos, a interação com outras pessoas em atividades divertidas diminui comportamentos depressivos e aumentam o bom humor6.

Outro fato comprovado é que, ao interagir com seus amigos, o risco de doenças cardiovasculares e estresse crônico também diminuem7. Evidências demonstram que o isolamento e a solidão podem ser fatores de risco. Por isso, a dica é não esquecer dos amigos e, por mais corrido que tenha sido o seu dia, lembre-se de ter por perto as pessoas que te fazem bem, pois elas são fundamentais para manter a saúde nas próximas décadas.

Referências bibliográficas:

1. American Psychological Association. Friends wanted.
Disponível em: https://www.apa.org/monitor/2014/01/cover-friends - Acesso em 24 de outubro de 2019.

2. Brigham Young University. Stayin’ alive: That’s what friends are for.
Disponível em: https://news.byu.edu/news/stayin-alive-thats-what-friends-are - Acesso em 24 de outubro de 2019.

3. Harvard Medical School. The health benefits of strong relationships.
Disponível em l: https://www.health.harvard.edu/newsletter_article/the-health-benefits-of-strong-relationships - Acesso em 24 de outubro de 2019.

4. The Huffington Postt. How Friendships Make Your Happier, Healthier
Disponível em: https://www.huffpost.com/entry/friendships-make-your-hap_b_8238262?guccounter=1 - Acesso em 24 de outubro de 2019.

5. University of Rochester. Feeling blue? Grab your friends and have fun, say researchers.
Disponível em: https://www.rochester.edu/newscenter/feeling-blue-grab-your-friends-and-have-fun-say-researchers-232642/ - Acesso em 31 de outubro de 2019.

6. Xia N, Li H. Loneliness, Social Isolation, and Cardiovascular Health. Antioxid Redox Signal. 2018;28(9):837–851.
Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5831910/ - Acesso em 31 de Outubro de 2019.

SABRAGE.MDY.19.11.0369