CÂNCER DE MAMA: VAMOS À PREVENÇÃO?

Não existe maneira fácil de lidar com um câncer, mas tratá-lo ainda no começo é nossa responsabilidade. Saiba como identificar e prevenir o câncer de mama.

Já separou a fita rosa e passou na consulta de rotina com seu ginecologista? Outubro é o mês da prevenção do câncer de mama, o câncer mais frequente entre as mulheres brasileiras.1 Para preveni-lo ou passar por essa fase, o primeiro passo é perder o medo de falar abertamente sobre a doença.

De acordo com o Ministério da Saúde, um em cada três casos de câncer pode ser curado se for descoberto logo no início. Como o de mama costuma apresentar sinais em suas fases iniciais, identificá-lo cedo é uma das formas de melhorar.2

Além de identificar a doença no início, recomenda-se entender como funciona o câncer de mama. O tumor resulta de uma multiplicação de células anormais da mama, que forma um tumor local com potencial para invadir outros órgãos. Há vários tipos da doença e alguns se desenvolvem rápido, enquanto outros são mais lentos.2

TOQUE-SE

Como, então, identificar o câncer de mama? Todas as mulheres devem conhecer bem as próprias mamas para entender quando há algo anormal. O sintoma mais fácil de identificar são os caroços na mama acompanhados ou não de dor. O autoexame é uma ferramenta muito simples e indicada para o autoconhecimento. No caso de quem menstrua, ele deve ser feito sete dias após a menstruação. Já para as mulheres que não menstruam, deve-se escolher sempre o mesmo dia do mês.4

Os sinais visíveis5 que podem indicar a presença do câncer de mama são:

  • Pele da mama avermelhada e endurecida;
  • Áreas estufadas ou covinha (retração do bico do seio);
  • Feridas que não cicatrizam e coceiras que não melhoram;
  • Saída de líquido do bico do peito (sem apertar) de cor vermelha ou transparente como água;
  • Caroço;
  • Local endurecido.

FORMAS DE PREVENÇÃO

Mesmo quando não há sinais nem sintomas do câncer de mama, mulheres devem se consultar regularmente com o ginecologista. Portanto, falta de tempo não é uma desculpa para não ir às consultas de rotina. Não deixe para depois, elas são fundamentais para a prevenção e apenas o autoexame não as substitui. O exame clínico, realizado por um profissional treinado, deve ser feito anualmente após os 40 anos, assim como a mamografia.1

Além disso, se uma pessoa da sua família já teve câncer na mama ou no ovário, fique atenta, pois a atenção deve ser redobrada. Nesses casos, médicos costumam solicitar o exame clínico e a mamografia mais cedo, após os 35 anos.1

FATORES DE RISCO

Para prevenir o câncer de mama, também é preciso prestar atenção aos fatores de risco. O primeiro é pura e simplesmente ser mulher. Mas não são só elas que estão sujeitas a desenvolver a doença. Cerca de 1% dos pacientes são homens.² Além disso, a cada aniversário, você estará mais propensa a ter câncer de mama.2

Veja quais são os demais fatores de risco2:

  • Histórico de câncer de mama ou de ovário na família, principalmente em parentes de primeiro grau após os 50 anos;
  • Obesidade e sobrepeso, principalmente após a menopausa;
  • Sedentarismo;
  • Consumo de bebida alcoólica;
  • Primeira menstruação precoce, antes do 12 anos;
  • Não ter tido filhos;
  • Não ter amamentado;
  • Parar de menstruar após os 55 anos;
  • Ter feito reposição hormonal após a menopausa, principalmente por mais de cinco anos;
  • Alterações genéticas;
  • Exposição frequente a raios-X.

Estilo de vida, seu aliado contra o câncer de mama

Alguns dos fatores de risco não são reversíveis e tudo que você pode fazer é se manter em dia com suas consultas de rotina ao ginecologista. Por outro lado, a listinha acima revela que a adoção de bons hábitos pode ajudar a prevenir problemas futuros.

O primeiro deles, endossado por pesquisas científicas6 e pelo próprio Ministério da Saúde2, é o aleitamento materno. Dar de mamar ao seu bebê pode trazer uma série de vantagens para o desenvolvimento do pequeno e da mulher. Por essas e outras, recomenda-se amamentar durante os dois primeiros anos de vida da criança.7

As outras recomendações, feitas pelo Ministério da Saúde1, você provavelmente já está cansada de ouvir: não fumar, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, manter o peso corporal adequado, montar um prato bem colorido durante as refeições e praticar atividades físicas (qualquer exercício que movimento seu corpo). Tais orientações podem ser suas aliadas para evitar uma doença que é grave e pode ser recorrente.

Por fim, mantenha-se atenta aos possíveis sinais da doença e informe suas amigas, conhecidas e familiares. Aproveite o Outubro Rosa para amarrar a fita rosa no cabelo, na bolsa ou na roupa e fale sobre a prevenção com outras mulheres. A sua rede de apoio pode ajudar a cuidar da saúde da mulher brasileira.

REFERÊNCIAS

1. Ministério da Saúde [homepage na internet]. Câncer de mama [acesso em 12 set 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/839-cancer-de-mama

2. Ministério da Saúde [homepage na internet].Câncer de mama: precisamos falar disso [acesso em 12 set 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cancer_mama_preciso_falar_disso.pdf

3. American Cancer Society [homepage na internet]. Types of Breast Cancer [acesso em 12 set 2018]. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/breast-cancer/understanding-a-breast-cancer- diagnosis/types-of-breast-cancer.html

4. Sociedade Brasileira de Mastologia [homepage na internet]. O que você precisa saber sobre o câncer de mama [acesso em 12 set 2018]. Disponível em: http://www.sbmastologia.com.br/cartilhas/o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-cancer-de-mama/

5. Sociedade Brasileira de Mastologia [homepage na internet]. Saiba tudo sobre o câncer de mama [acesso em 12 set 2018]. Disponível em: http://www.sbmastologia.com.br/wp-content/uploads/2017/09/Cartilha-Saiba-Tudo-Sobre-o-CM.pdf

6. Howell A, Anderson AS, Clarke RB, Duffy SW, Evans DG, Garcia-Closas M, et al. Risk determination and prevention of breast cancer. BioMed Central. Breast Cancer Research. 2014 Set 28. 16(5): 446. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=25467785 .

7. Ministério da Saúde [homepage na internet]. Aleitamento Materno [acesso em 12 set 2018]. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/saude-para-voce/saude-da-crianca/aleitamento-materno

Confira outras curiosidades abaixo: