DEPRESSÃO E ANSIEDADE: COMO SEPARAR UMA DA OUTRA

Apesar de muitas vezes parecidas, depressão e ansiedade não são a mesma coisa. Alguns sintomas, porém, são comuns nas duas doenças e podem chegar a confundir quem sofre com uma delas. Afinal, esse mal-estar é fruto de uma depressão ou de um transtorno de ansiedade?

Antes de mais nada, uma boa notícia: as duas enfermidades têm tratamento. E você não está só: no Brasil, mais de 11 milhões de pessoas têm depressão, e outros 18 milhões sofrem com ansiedade [1]. E os dois podem se misturar: mais da metade de quem tem depressão vem com um transtorno de ansiedade de brinde [2]. É daí vem a importância de buscar ajuda: uma consulta médica para relatar sintomas e queixas traz o amparo necessário para entender o que se passa, e traçar um plano de tratamento para voltar a se sentir melhor.

E sim, depressão ou ansiedade são doenças. Elas não são e nunca foram fraquezas de personalidade ou caráter. O primeiro passo - que é aceitar a enfermidade - pode ser difícil no início, mas quando essa barreira é ultrapassada, o tratamento flui e é possível voltar a ter uma vida normal e produtiva.

Para entender as diferenças entre as duas, vamos primeiro definir o que é depressão e o que é ansiedade:

Depressão

A depressão acontece por alterações químicas no cérebro, causadas por genética ou fatores ambientais [3], como a perda de um ente querido, uma demissão, ou outro evento marcante.

O tratamento tem como objetivo modular esse cérebro que passou a funcionar de maneira irregular. Isso é feito por meio de psicoterapia e tratamento farmacológico. Por essa razão, quando sentir algum sintoma de depressão, não hesite em procurar ajuda médica, para receber a orientação adequada.

Desconfie que você pode estar com depressão quando [4][5]:

  • Você sente tristeza ou fica se sentindo “para baixo” com frequência;
  • Perde o interesse e o prazer por coisas que antes gostava de fazer;
  • Ganha ou perde peso rapidamente, sem nenhuma mudança na rotina;
  • Sente mais fome ou seu apetite diminui sem explicação;
  • Tem sentimentos excessivos de culpa;
  • Você se sente irritado com frequência, mesmo sem ter razão justa para isso;
  • Tem sintomas físicos, como dores de cabeça ou até mesmo dores nas costas.

Ansiedade

É normal nos sentirmos ansiosos de vez em quando, como quando esperamos o retorno de uma entrevista de emprego ou quando estudamos para uma prova difícil. Mas se a frequência ou a intensidade desse frio na barriga aumenta em demasiado, isso pode indicar um transtorno de ansiedade. Se não tratado, ele pode afetar vários aspectos da vida, como a carreira e os relacionamentos pessoais.

Você pode estar passando por um transtorno de ansiedade se você: [4][6]

  • Se preocupa excessivamente e fica apreensivo com atividades do dia a dia, como o trabalho e a escola;
  • Tem dificuldade em controlar suas preocupações;
  • Sofre frequentemente com tensão muscular;
  • Tem alguma alteração gastrointestinal quando se sente ansioso;
  • Passa a ter taquicardia e respirações rápidas;
  • Tem tremores diante de situações de estresse.

No entanto, as duas doenças podem apresentar sintomas exatamente iguais. Quando isso acontece, pode ser o caso da depressão estar associada a um transtorno de ansiedade. Não deixe isso te abalar: é uma situação extremamente comum. Lembra que antes mencionamos que mais das metades dos deprimidos também sofrem com ansiedade?[2] Então.

Você pode estar com os dois transtornos ao mesmo tempo se você:[4]

  • Tem dificuldade de concentração e pode inclusive sofrer “brancos” na memória;
  • Tem insônia ou fica se sentindo sonolento durante o dia;
  • Se sente cansado e sem energia;
  • Tem sensação de estar no limite.

Não hesite em buscar ajuda, já que o tratamento para essas doenças é eficaz e devolve qualidade de vida. Conversar com um amigo ou parente também ajuda a nos fortalecer.

Referências:

  1. World Health Organization. Depression and Other Common Mental Disorders. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/254610/WHO-MSD-MER-2017.2-eng.pdf;jsessionid=178B8D4B29C3C7E0DCA942DB0C5319E7?sequence=1
  2. Baldwin DS, Evans DL, Hirschfeld RM et al. Can we distinguish anxiety from depression? Psychopharmacol Bull. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12490832
  3. Marije aan het Rot, Sanjay J. Mathew, Dennis S. Charney. Neurobiological mechanisms in major depressive disorder. CMAJ.JAMC. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2630359/
  4. Tomislav D. Zbozinek, Raphael D. Rose, Kate B. Wolitzky-Taylor et al. Diagnostic Overlap of Generalized Anxiety Disorder and Major Depressive Disorder in a Primary Care Sample. Depression and Anxiety. The official journal of ADAA. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3629816/?fbclid=IwAR168BBjCuEos4RmQDW0dnile4RmbCbhyrdPL5FyPfghMMuMbgFk6qlqT8o#
  5. Mayo Clinic. Depression (major depressive disorder). Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/depression/symptoms-causes/syc-20356007
  6. Mayo Clinic. Anxiety disorders. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/anxiety/symptoms-causes/syc-20350961

SABRAGE.MDY.18.11.0364

Racismo e depressão: como o ambiente influencia o estado de espírito

Estresse provocado por experienciar racismo cotidianamente pode deixar a população negra mais vulnerável ao transtorno.

Fibromialgia não é frescura: entenda mais sobre essa doença silenciosa

A fibromialgia é uma doença silenciosa e de difícil diagnóstico, mais comum entre as mulheres. Veja quais são os sintomas e o tratamento

Como tratar depressão pelo Sistema Único de Saúde

O Sistema Único de Saúde oferece tratamento para a depressão em todos os casos: leve, moderado ou grave. Saiba onde procurar ajuda.

Como conciliar carreira e tratamento contra depressão

A depressão chegou na vida da executiva Gabriela Moraes* em um momento importante de sua trajetória profissional.

Este conteúdo foi útil para você?